• #Micropigmentação a sensação do momento! Venha já dar uma repaginada no seu visual. Promoção toda quinta-feira.

  • Carla Lima Ateliê das Sobrancelhas, está com uma excelente promoção durante esse mês de Junho. Traga uma amiga e ganhe 50% de desconto na manutenção. Venha já conferir!

Sobrancelha fio-a-fio: tebori ou dermográfo?

Tebori, além de ser o nome do aparelho usado para realizar este tipo de micropigmentação, é o nome “oficial” da técnica milenar de origem japonesa: micropigmentação com tebori.

Utilizada pelos orientais para fazer tatuagens, esta é uma técnica que dá uma leveza por se tatuar a mão com bambu (inicialmente). Hoje, são utilizadas canetas de tebori que, em uma de suas extremidades, utiliza agulhas em quantidades variáveis.

A técnica de tatuagem foi transferida para a micropigmentação, já que permite uma leveza nos traços, porém exige firmeza e boa coordenação do profissional que a executa.

Na micropigmentação utiliza-se dermógrafos que, muitas vezes, trepidam e comprometem a precisão dos traços, ou seja, no caso de sobrancelhas fio-a-fio. A caneta de tebori não tem esta trepidação, pois utiliza agulhas ou lâminas para a introdução do pigmento na pele, sem necessitar de um aparelho elétrico.

A naturalidade dos fios feitos com a técnica de microblading é incomparável a qualquer técnica de micropigmentação com dermógrafo, mas exige destreza e precisão do profissional que efetua o procedimento.

O sucesso do resultado depende também da utilização de pigmentos adequados e voltados para a micropigmentação e não para tatuagem. A escolha da cor correta do pigmento e o desenho adequado da sobrancelha para cada tipo de rosto também está diretamente ligado a um resultado natural.

Muitos dizem ser uma técnica que pouco incomoda. Tem uma duração média de 6 a 8 meses, devendo ser retocada após este período.

Uma técnica que está em franca expansão e que deixa os clientes muito satisfeitos pela naturalidade dos resultados, mas lembrando, todo resultado satisfatório vem de muita dedicação, treino e estudo